Caçadores de aventuras

A segunda semana em Montreal foi muito interessante por dois fatores: estou conversando mais com as pessoas e realmente conhecendo a cultura canadense e a de outros países, e o sábado foi muito divertido, mas isso fica pro final do texto.

No domingo passado pude conhecer, através da minha host family, uma receita canadense chamada Pâté Chinois. Ele era a comida típica dos trabalhadores chineses que construíram a linha férrea que corta o Canadá de leste a oeste, também sendo adotada pelos trabalhadores canadenses/franceses. Essa história me lembrou um pouco a da feijoada, que no caso foi a partir dos escravos. Esse pessoal ai embaixo são a minha família aqui de Montreal, Daniele e Antoine.

Daniele, Eu e Antoine

Na segunda decidi ir com suíços e colombianos ao Village des neiges, que é basicamente um bairro feito de neve e gelo. Ele só estaria aberto as 17h, e chegamos um pouco cedo demais, então decidimos passear pelo lugar. Enquanto eu e mais duas garotas andavamos contentes pela neve, uma delas cai em um buraco escondido pela neve e fica com o pé preso. Com nossa ajuda ela conseguiu sair, mas fica o aviso: cuidado ao andar pela neve quando o caminho é desconhecido. Tiramos algumas fotos legais na costa da ilha e como estava próximo do horário de abertura, decidimos voltar para a atração principal. Chegando lá ficamos sabendo que não seria possível visitar a atração naquele dia, provavelmente devido ao calor dos dias anteriores (de 0° a 4° graus). Mas, todos ganharam ingressos para voltar outro dia! E os funcionários ainda nos deixaram tirar fotos. Mas esse assunto vai ficar para um próximo post.

Village des naiges

Na terça visitei o Casino de Montreal, que fica na Ilha de Notre Dame. O casino está localizado dentro do circuito Gilles Villeneuve, então pra mim era preciso ir. Apesar de não poder ver muita coisa do circuito, por ter realizado a visita durante a noite, posso dizer que estive lá. E a visita ao casino foi interessante para conhecer, já que eles são ilegais no Brasil. Joguei Keno, que é igual a bingo, mas perdi nas duas rodadas que tentei, e depois tentei a sorte nas slot machines, desperdiçando algumas moedas de 25 centavos. Apesar de não ganhar nada foi interessante pois pude comprar decks de cartas do próprio Casino, então amigos, preparem-se porque agora vamos jogar como profissionais! Ah, um amigo ganhou quase 600 dólares na roleta! Muita sorte!

Na quarta era dia de mostrar minhas habilidades de Senna por aqui no kart. Após as aulas, as 17:30 nos encontraríamos na estação de metrô. Cheguei uns 10 minutos antes e esperei. Depois de uns 5 minutos apareceu um suíço e mais ninguém. Ele achou interessante eu estar ali no horário, devido ao fato de eu ser sul-americano isso não era esperado. Como dizem por ai, fica a dica. Esperamos, esperamos, esperamos e nada de alguém aparecer, nem mesmo o pessoal da organização. Então as 18:00, vimos alguns amigos descendo as escadas. Eles já estavam voltando do kart! Mudaram o horário no dia para as 16:30 e não ficamos sabendo… Os canadenses terão que ver minhas habilidades em outra ocasião.

Quinta, pub para comerar aniversário de uma Brasileira! O horário de encontro na estação de metrô era as 20:00 horas mas acabei me atrasando porque perdi o ônibus no bairro em que vivo. Quando cheguei la, as 20:20, não encontrei ninguém então decidi pedir informação na rua para chegar ao Pell Pub. Também não encontrei ninguém por lá, então decidi beber no balcão. Consegui matar mais 2 cervejas da minha lista de 1000. Depois de algum tempo bebendo a galera chegou, então fui para uma mesa e ainda deu tempo de provar o Jack Daniel’s Tennessee Honey. O Pub era sensacional, muitas televisões mostrando NBA e prévias da temporada de Hockey que iria começar no sábado. Aqui o pessoal é fissurado em Hockey, e o time de Montreal é o melhor da liga, chamado Canadiens.

Sábado, era dia de snowboarding! Uma das atividades que eu mais esperava. Pra isso seria necessário acordar cedo, as 6:00, para encontrar o pessoal da escola as 7:30 e ir para a Orford Trois Montagnes. Tudo dentro do esperado, durante a 1:30 de viagem a galera conversava animada dentro do ônibus, quando aparentemente o motorista estava fazendo uma curva, o sentimos o ônibus tombar para o lado direito. Sim, caímos para fora da estrada, não era uma curva. Ao tentar dar ré e voltar para a pista, tombamos mais um pouco, nesse momento quem estava no lado esquerdo do ônibus e não estava se segurando sentiu a ação da gravidade e caiu para o lado direito. Acredito que ficamos num ângulo de 30° ou mais fora da estrada. Ninguém se machucou mas seria necessário sair do ônibus pois ele poderia tombar ainda mais, e esse processo deveria ser feito com cuidado, também devido ao perigo de tombar. Acionamos a saída de emergência no fundo e saímos o mais rápido que pudemos. Esse processo foi um pouco difícil devido ao ângulo em que estávamos, não havia muito chão para pisar. Eu por exemplo me apoiei nos bancos. Uma pessoa que estava na estrada e presenciou o acidente parou para nos ajudar a evacuar o veículo. Ficamos na estrada e logo a polícia apareceu, isolando e sinalizando a pista da direita. Para nós era divertido e assustador ao mesmo tempo, mas todo mundo estava bem. O motivo do acidente foi ridículo: o motorista queria tirar a blusa, e ao fazer isso esqueceu que tinha que dirigir. Não sabíamos se a viagem iria continuar ou se teríamos que voltar para casa, mas naquele momento, o maior problema era que estava nevando e ventando muito. Foi então que uma alma bondosa apareceu com outro ônibus e nos deu uma carona até uma espécie de shopping há alguns quilômetros de onde havia acontecido o acidente. Nesse local pudemos esperar pelo retorno do nosso ônibus. Então a galera comeu, conversou bastante e depois de algum tempo o mesmo ônibus e motorista voltaram. Todos embarcaram mas nesse momento a sensação de tenso imperava, e isso qualquer pessoa reconhece, não importa o idioma. Eu imaginei que o ônibus poderia ter quebrado alguma coisa, mas pelo que parecia estava tudo certo. Continuamos viagem e quando percebemos estávamos voltando para o mesmo shopping depois de mais uns 30 minutos dirigindo. Sim, o motorista errou o caminho! Depois disso era ele quem estava com cara de tenso misturada com “foi mal galera”.

Acidente com o ônibus

Finalmente chegamos à montanha, depois de perder aproximadamente 2 horas. Pegamos nosso equipamento, botas, capacete e prancha. Fui para a aula e mais um problema: o horário original era as 10:30, mas como tivemos um acidente, ela havia sido remarcada para 13:00. Teríamos que esperar 1:10 para isso. Então, o manager de toda situação (que gerenciou todos os imprevistos desse dia muito bem) entrou em ação mais uma vez e conseguiu que a aula de snowboard fosse realizada imediatamente, e ele mesmo iria introduzir conceitos básicos de ski. Como eu era do snowboard, aguardei a chegada do professor. Somente eu e um colombiano iriamos fazer snowboard, e depois de nos apresentarmos, subimos para a área de iniciantes e começamos os princípios básicos. O cara não estava lá somente para ensinar, ele era gente boa e por isso trocamos várias ideias, foi daí que tive certeza que a igloofest é imperdível, provável assunto para próxima semana. Depois de alguns tombos e 1:30, havia acabado a aula e estávamos sozinhos. A base de skateboard ajuda, mas com certeza preciso treinar mais (as duas coisas). A sensação de descer a montanha é ótima, o vento na cara, o ar puro e a velocidade são demais, com certeza um dos esportes mais legais que já fiz. Outra conclusão é que é melhor cair na neve do que no asfalto! Caí muito, no final do dia estava exausto mas sem nenhum hematoma ou machucado. As garotas suíças até foram tentar rir dos sul-americanos (elas estavam em pistas mais altas e nível intermediário), mas no fim das contas todo mundo andou junto e elas achavam que estávamos andando bem para o primeiro dia.

Snowboard Style

No final desse dia dormi como uma pedra, e apesar de tudo o que aconteceu, valeu muito a pena. Pena que para os brasileiros, a montanha mais perto fica na Argentina ou no Chile…

A imagem que ilustra esse post fica no caminho do Village de naige, é o Biosphere, Environment Museum. Não visitei mas achei a foto bonita. Como a versão do topo não está tão legal assim, aqui vai uma versão que dá para entender.

Biosphere, Environment Museum

Se tudo der certo, semana que vem tem mais galera!

One thought on “Caçadores de aventuras

  1. Nossa, quanto tempo era esse rolê de Kart? Os caras chegaram 16:30 e saíram 18:00, mas fiquei imaginando sua cara de “puto” por não ter sido avisado sobre a mudança de horários hehe

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *