Percepções gerais durante uma viagem de férias

Durante Março estava viajando em férias. Depois de um longo período de planejamento e muita ansiedade, finalmente chegou o momento de visitar e concretizar os planos.

A lista de países para visitar era extensa, para um período de aproximadamente 3 semanas:

  • Suíça
  • Bélgica
  • Holanda (Amsterdã)
  • Estados Unidos (Miami)

Em cada um desses lugares possuía um objetivo específico, que pretendo explicar em postagens posteriores. Nesse post, minha intenção é dar uma impressão geral das minhas percepções durante essa viagem sensacional.

Começando com algo que me chamou muita atenção, principalmente na Europa: A visão que estrangeiros possuem de que brasileiros são preguiçosos, não trabalham duro e querem só aproveitar a vida. Me sentia um pouco incomodado quando me falavam isso sem nenhum pudor, como se eu esperasse pela informação. Consigo imaginar o porquê disso, mas não imagino porque isso está tão disseminado na “cultura global”. Alguém consegue ajudar? Será que ainda podemos mudar essa visão?

Apesar disso, o Brasil é admirado e amado por muitos estrangeiros, e muitos deles gostariam de visitar nosso país, apesar das questões de segurança (sim eles tem medo) e da desconfiança, devido a relatos de turistas (ou gringos) sendo enganados por aqui.

O Brasil é paisagens naturais lindas, mas na minha percepção, poucas coisas se comparam a visão dos Alpes. Gostaria que todos tivessem a oportunidade de ver isso pelo menos uma vez na vida. Só consegui comparar isso com a visão do Rio de Janeiro quando se pousa no aeroporto Santos Dumont.

É impressionante como os Holandeses são hospitaleiros e dispostos a ajudar. Além disso, eles me parecem muito unidos entre eles, pessoal bem mente aberta, e não somente pelo fatores mais disseminados por aqui, mas pela postura deles com relação a pessoas. Liberdade faz a diferença na vida das pessoas e nas características de um povo.

A Europa como um todo, mas especialmente a Bélgica, é um lugar com arte por todos os lados. Isso é muito legal, acho que até dá uma inspiração a ter novas ideias, refletir sobre tempos antigos, ver coisas de um modo diferente. Em termos de arquitetura e arte, São Paulo e Rio de Janeiro são duas cidades brasileiras que conheço que tem um pouco disso, mas parece passar despercebido aos nossos olhos que ignoram o que o Brasil tem de bom. E em muitos cantos fora daqui nossa arte é extremamente valorizada!

Não estou velho, ainda sou capaz de beber muitos dias seguidos e festar muitos dias seguidos. A diferença é que agora sei fazer isso direito e sem exageros.

A parcepção de que os produtos são baratos em Miami não se concretizou pra mim, e não fiz nenhuma conversão. Não comprei nada relacionado a tecnologia, mas outras coisas me pareceram em alguns momentos até mais caras que no Brasil.

Miami me lembrou Florianópolis, cidade grande, com praia e estrutura. Lá é só um pouco mais organizado, mas o sentimento é quase mesmo, até porque é difícil se sentir nos EUA com tanta gente falando Espanhol e Português à sua volta.

Solução de locomoção eficiente, segura, limpa: bicicleta! Dá pra dirigir até bêbado.

Cerveja!

Comida!

Cerveja!

A Europa e os EUA tem problemas: trânsito, transporte público que as vezes não funciona, impostos excessivos (na visão deles). Continuo achando que a principal diferença são as pessoas e a sua educação.

Agora podem me xingar!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *