Sobre o livro “Almanaque das drogas”

Logo na capa do livro, além do título será encontrada a seguinte informação: um dia informal para o debate racional. Neste instante o autor deixa clara sua proposta e não faz com que o leitor espere mais do que o livro tem a oferecer. Por isso, acredito ser muito difícil se decepcionar com o trabalho de Tarso Araujo.

O livro é divido em seis partes:

  • O básico
  • História
  • Economia
  • Saúde
  • Política
  • Drogas de A a Z

Todas as divisões são desenvolvidas com bastante cuidado e se mostraram bastante úteis pois facilitam o foco de pensamento do leitor. Aos poucos elas vão atacando mitos e revelando informações que certamente irão alterar o pensamento de quem lê. Umas das partes mais interessantes está na divisão economia, quando o autor trata sobre o tráfico de drogas. A quantidade de conteúdo e detalhes fornecidos mostra que o problema é maior e mais complicado que a maioria de nós pode imaginar.

Além de ser muito bem escrito o livro constantemente apresenta dados para comprovar seus pontos, muitos em forma de infográficos, facilitando ainda mais a compreensão. Outro ponto notável é a quantidade de referências utilizadas e citadas diretamente no ponto de utilização (como em trabalhos científicos). Por ser um assunto polêmico, fornecer as fontes de informação deixa claro que as informações não são baseadas em achismos ou crenças pré-estabelecidas.

Recomendaria esse livro para qualquer um interessado em saber mais sobre o assunto, mas acredito que ele seja importante para qualquer pessoa, pois as drogas fazem parte do cotidiano de todos (se você não acha isso verdade, leia o livro). Os pais preocupados em manter os filhos longe dos problemas que elas podem causar, meus amigos programadores que não conseguem largar o cigarro e café, aquele amigo do happy hour, o curioso que quer experimentar uma viagem nova, o viciado e principalmente o desinformado. Conhecendo as informações do livro acredito que o debate e a compreensão geral do assunto irá melhorar infinitamente. No meu caso, me deixou mais curioso para me informar mais sobre o assunto.

Como o assunto está em moda e novas informações estão surgindo a todo momento, o autor utiliza um blog [1] para comentar novidades que não estão no livro. Uma atitude muito interessante, pois é capaz de gerar ainda mais conhecimento, uma vez que os comentários estão abertos aos visitantes. Boa leitura!

  1. Blog do livro